Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017

Decisões

E hoje é o dia em que duas vidas serão decididas... o meu pensamento não pode ser outro a não ser:

xi0kknxtlzirsko9qii1.jpeg

publicado por artista-magico às 00:16
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Setembro de 2017

Que seja como for..

Poderia ter vivido uma vida sozinho, poderia ter vivido uma vida na ignorancia sem saber o que é o amor, mas quis o destino que viesse sentir o que todos procuram... mas de forma sádica. Nunca mo quis dar verdadeiramente: O destino dá.. e tira. Dá e tira sabendo que cada vez que dá me torna mais inebriado e que quando tira me deixa louco e birrento. Quero acreditar que no fim dirá "Vá.. toma. Tu mereceste, é tudo para ti, estava a brincar". Quero acreditar que um dia será assim, mesmo que viva com o medo que tenha sido a ultima vez, que não volte mais.

É que poderia ter vivido sem saber. Viveria, como tantos outros, felizes por si só. Quem os pode criticar? Afinal, nunca souberam o que é sonhar com os cheiros e sabores viciantes do seu corpo, com o sorriso envergonhado e gargalhadas descontroladas, com o olhar eterno de criança pronta a conhecer o mundo, com a teimosia dos seus ideais, com aquele beijo.... com aquele beijo! Foda-se o beijo. Como é que alguém consegue viver sem este beijar que desperta o corpo para uma maratona de guerra e paz... Afinal não os consigo entender, de que estão à espera para procurar isto para as vossas vidas?! Nem que seja sádico como a mim, nem que seja uma só vez.

Não quererão outra coisa e se não der certo até poderão vir a viver uma vida sozinhos mas não viverão na ignorancia sem saber o que isto é. Para cego, só cego de amor.

tumblr_o64a4vObGa1ued86go1_1280 (1).jpg

 

publicado por artista-magico às 23:17
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 13 de Junho de 2016

Distância

Falávamos todos os dias de sorriso no rosto. Não havia compromisso nem podia haver, apenas a vontade de falar um com o outro.
Sendo pessoas físicas, sabíamos que, com o tempo, viria a vontade de estarmos ainda mais juntos, mas também sabíamos que era impossível.
Um problema que seria resolvido mais tarde.
Só não sabia que iria interferir com a vontade inicial de falar.

Quando surgiu a possibilidade de darmos um abraço, fui às nuvens: não estava em mim. Quando surgiram impossibilidades da minha parte e pela primeira vez faltei, fui ao fundo. Custou-me imenso não sentir o seu corpo, mas mais ainda não sentir o seu "calor" nas conversas. Não dava para ir sem nos pormos em risco, e mais do que em mim, pensei nela. Não o poderia fazer. Ela não entendeu e arrefeceu, mas com o tempo passou.

Aproveitei estes 3 dias para viajar, algo que faço regularmente, algo normal como estar em casa. Foi motivo para me deixar de falar. fui ter com ela, mas não obtive resposta. Diz que não queria atrapalhar. Atrapalhar o quê? Ou melhor, qual a diferença do que fazemos diariamente? Falámos, disse que estava normal e arrefeceu ainda mais, mas com o tempo não passou.

Hoje voltou a não dizer nada. Não vou insistir e ser eu a voltar a falar no assunto para "ouvir" que está tudo bem quando não está.
Já sabiamos que a distância física seria uma constante, mas não esta distância.
Custa não falarmos como antes. Tenho imensas perguntas e vontade de contar variadíssimas coisas, mas tenho que esperar que isto lhe passe pois não posso fazer nada.. espero que passe..

couple-holding-hands-long-distance-relationship.jp

 

 

publicado por artista-magico às 16:15
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 5 de Junho de 2016

"The end"?

Depois de todos os problemas, ausências de anos, de tudo o que nos podia acontecer... nunca disseste que era o fim.. até ontem?
Quando vi o "the end" estremeci. No fundo andava num barco à deriva, a navegar sem rumo certo até que PUM.. bati nestas palavras e encalhei durante horas a olhar para elas. 
"Será que não percebi bem?" Pensei eu,mas fui ter contigo e foste "fria" como não és. "Será? Pode estar ocupada", mas tanto tempo?
Aceitei.
Em outro tempo faria quilómetros, revirava a cidade até mostrar que não poderia ser. Agora o que posso fazer? De mãos e pernas atadas: só as palavras... e escritas porque nem a minha voz podes ouvir. Até nem me importava de não dizer nada se apenas pudesse aparecer À tua frente e olhar-te nos olhos (sempre foram os primeiros a falar.. por vezes os únicos).
Sei que não te tenho escrito aqui todos os dias, mas estou contigo 24h. Tens sido muito mais que o que eramos aqui, mas não quero perder este teu lado.
Espero ter que vir a apagar isto...

publicado por artista-magico às 23:55
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Maio de 2016

És MESMO música nos meus dias!

Temos falado imenso sobre as nossas vidas. Grande parte das vezes torna-se incomodo, mas a minha curiosidade pelo teu mundo faz com que continue a perguntar.
Contas-me os teus planos com ele, colocas fotos, continuas a tua vida como se nada fosse. É estranho, mas o que é certo é que partilhas a tua vida com ele, é ele que te tem todos os dias. Mas acredito que, no fundo, não podes estar feliz com a vida que tens. Falta-te algo, ou melhor, falta-lhe a ele algo, que por muito que ambos lutem nunca terão, pois não será natural. E depois estou eu. Com tanto para dar mas na mesma situação. Acabamos por, sem nos apercebermos, fazer um jogo em que damos de nós e nos magoamos. Um jogo que não queremos parar porque se um dá o outro também o faz.. se um foge o outro também se esconde por trás de palavras curtas. Mas é um jogo que nos faz sentir!

E eu quero-te nos meus dias. Quero sempre. E depois não me importo que durmas com ele pois tens-me no teu coração, e é melhor do que estar ao teu lado e não ter nada. Quero continuar a fazer planos, promessas, desejos, quem sabe se algum dia se realizam! E dançariamos até nos doer os pés e continuaríamos até não poder mais!

(Eu nunca gostei de Enrique Iglesias, mas dou por mim a ouvir em REPEAT pois é a música deste nosso momento. Espero que também a dances, até teres oportunidade de me dares a mão e dançarmos juntos)

 

publicado por artista-magico às 23:32
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Maio de 2016

Sexta!

Ao início, este era o dia em que, com sorte, a veria! Era sempre um nervoso em que me aprontava na incerteza, mas a mínima hipotese era mais do que suficiente para me preparar para a abraçar!
Ela tinha alguém e encontravam-se ao fim de semana. Eu era o outro e apesar de ser errado para mim era o certo. Eu queria aquele momento mais que tudo na vida. E ela também, eu sentia-o ao passar a mão na sua pele, aquela energia... Só a via ao final da noite, depois de estar com ele ou com os amigos. Era uma espera que dava cabo de qualquer sistema nervoso!
Depois? depois era aproveitar cada minuto como só nós sabíamos, até aquele momento em que me dizia pela 10ª vez que tinha que ir embora (sem nunca ter ido antes).
Levava comigo o seu cheiro e o seu sabor. Demorava imenso a adormecer com a excitação... um sorriso nos lábios, umas marcas no corpo e um sentimento de que era a pessoa certa.

20aa4fef35fb558e4a7d367db9ffafe1.jpg

Hoje voltará mais uma vez para os braços do seu companheiro mas ao fim da noite não a verei. Não sei que emoções irá sentir, mas quero acreditar que, como da primeira vez,  ao fim da noite sentiria muito mais.

publicado por artista-magico às 22:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito (2)
|
Terça-feira, 3 de Maio de 2016

O mundo dá cada volta!

Estava aqui a pensar.... 

Faz agora, mais coisa menos coisa, 5 anos que estávamos em pontas diferentes do país.
Desta vez estou onde ela estava e ela onde eu estava.
Estávamos a deixar de falar e agora estamos a começar a falar.

O mundo dá tantas voltas....

ar-784x400-mundo_da_voltas.jpg

(Será que ainda não acredita em coincidencias?) 




publicado por artista-magico às 23:57
link do post | comentar | favorito
|

Correr lado a lado

Foi um choque quando soube que também corria. Pensei: "Agora é que nos vamos cruzar pela cidade!!". Ainda não queria, não sabia como iria reagir!
Com as conversas, acabei por me habituar à ideia. O primeiro contacto foi quando o meu grupo foi treinar para junto do seu ginásio. Sabia que estava lá pois tinhamos falado algum tempo antes, e confirmei com o carro à porta pois era o único com roupa pendurada no seu interior (tinham dito que tinha mudado para um daquelas características e assim só podia ser o dela!). Andámos lá às voltas e cada vez que passava pelo carro só pensava "vai ser agora". Mas não foi... se tivesse papel e caneta teria deixado no puxador da porta algo como outrora, algo que lhe tirasse um sorriso no fim de um dia cansativo, mas não tinha... ou talvez não deixasse pois poderia já não achar piada.

E passou..

As nossas conversas continuaram e soube que se propôs a uma prova herculiana: meia maratona. Sempre acreditei nela. Uma pessoa com aquele brilho no olhar só pode vencer em tudo o que se propõe! Foram semanas e semanas sobre o tema e que nos levarou a este à vontade que tínhamos perdido fazia anos, quando rasgámos de um momento para o outro tudo o que tínhamos conquistado até então.
Passou num instante e a data chegou. Sabia que, com sorte, conseguiria voltar a dizer olá ao longe. E foi o que aconteceu. Corri até ao ponto onde se cruzavam os participantes e procurei em cada corpo feminino a Sabrinas, nos calções roxos que era a única informação que tinha. "Olá, força" foi o que saiu. Mal sabia ela que tinha tanta coisa para dizer mais e que o que me apetecia era saltar para o outro lado, dar-lhe um abraço e ajudá-la no que precisasse. Acabar a prova que treinámos virtualmente juntos. Serviu o consolo de ver as fotografias dos participantes e aquele sorriso.
Hoje leio o seu texto e vejo que as vontades são as mesmas. Devia de acreditar nas coincidências! Não sei como vai ser o treino para a próxima prova, mas a vontade é muito maior e partilho de todas as vontades! Hoje ao correr com uma manhã cheia de sol, fui com a treinadora pela primeira vez para os campos (ironia do destino) e a cada canto, cada canteiro verde imaginava-me nas suas palavras...

...e era dela de novo.

 

images.jpeg

 

publicado por artista-magico às 22:17
link do post | comentar | favorito (1)
|

Estás em todo o lado

Não foste a única pessoa por quem tive sentimentos, que vivi histórias e de quem tenho lembranças.. mas quer vá sozinho no carro ou acompanhado de milhares num concerto, as músicas continuam a trazer um único rosto, e é o teu...!

67dd02176779f4b02276c0cf310a0d01.jpg

publicado por artista-magico às 03:44
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 29 de Abril de 2016

Resposta

Ainda me encontro "abananado" pelo teu retorno. Não estava à espera.....


Tenho que deixar a minha resposta, pois como disseste foi grande história! O final, ou ausência do motivo para não continuar é que ainda não percebi... por muito duro que seja penso que passados 5 anos aguentaria. Já foi, ultrapassámos esse ponto mas é algo que ficou. Algo que só tu sempre soubeste e que eu nunca saberei a não ser que o reveles.


E já passaram 5 anos... tanto tempo! Ao início ansiava para não te encontrar no supermercado, na rua, etc. Depois apercebi-me que apesar de vivermos na mesma cidade não nos veríamos. Quase só nos tinhamos os dois em comum.

As poucas que te vi foi à noite e não eras em nada a "minha sabrinas". Não te reconhecia com aquela presença, tinhas mudado em tão pouco tempo e confesso que não te queria ver. Como dizem: "longe da vista, longe do coração". Só assim conseguia seguir, não sabendo nada de ti. Confesso que até tirei as notificações do facebook e que ainda hoje não as repuz ( ia espreitando de quando em vez para ver se estava tudo bem contigo)

 

Também já não me recordo como e porquê voltámos a falar por chat. Soube bem o retorno escrito, mas foi igualmente estranho pois não conhecia aquela frieza do "xau beijinhos" desse teu lado. Só conhecia o lado quente que nesses dois anos tinha esfriado. Ainda tentei lutar contra a maré mas já te saia natural e nada podia fazer.
Entretanto, nessas conversas, vi que estavas sem objectivos, perdida, um pouco vazia apesar de aclamares que estavas feliz da vida e enamorada. Aquele brilho que reconhecia estava a apagar-se com a rotina e tentei puxar por ti (Tinhas e tens tanto para dar!). Sabia que devia ser o teu novo amor a fazer, e que se fosse eu a fazê-lo seria ele que teria a melhor parte de ti e eu não, mas não te podia deixar assim e incentivei-te a recomeçar um blog. Um novo, algo que fazias tão bem e que poderia levar-te a alcançar alguns dos teus sonhos. Só posso dizer que o que veio daí me deixou extremamente orgulhoso!

 

Lembro-me da festa que falas, ainda foram algumas as festas que o meu olhar se cruzou com a tua presença. Eram raras as vezes mas parecia iman! Porém virava logo o meu Norte como se fosses uma tentação.. Lembro-me de um concerto que nem era na nossa cidade e nem me interessava muito a banda. Falámos por causa de uma amiga tua e era um pretexto para te voltar a cumprimentar. No meio de milhares, a pedir aos meus amigos para dar umas voltas no recinto, lá te consegui ver, com ela e com o teu namorado. Tu não me viste. Foi estranho e não fui.

 

 

No casamento do casal amigo foi então pior. As tentativas de cumprimentar ali se concretezariam de certeza, e assim foi, anos depois. O arrepio gélido foi mutuo. Tanta coisa que poderia ser dita mas ali estávamos nós, cada um com o seu par. Tanto para dizer mas eles não sabiam de nada nem iriam perceber. Ficámos como se fossemos apenas conhecidos aos seus olhos. Nos meus observáva-vos pelo canto... até que em voz alta disseste que estavas noiva. Não me sentia bem ali. Não me senti bem em estar noutra mesa. Não me senti bem em ver-te a dançar com outro rapaz. Não me quis despedir e saí sem veres, porque percebi que ali é que estava o fim que tanto procurava.

 

Começámos a falar mais vezes. Como se desde sempre tivessemos sido amigos. A falar dos nossos futuros casamentos, luas de mel, filhos... tudo isso cada um por sua conta. Como era possível se nunca tinhamos feito planos os dois? Quem eram aqueles? Pareciam duas histórias inventadas à pressão, floreadas mas sem ponta por onde se lhe pegasse.... antigamente bastava uma pontinha para desbravar mundo sem pensar em planos e consequencias.

 

Tu disseste que te ias casar e acabei por casar até antes, ironia do destino. Não sei o que responder ao teu último parágrafo, mas custa-me saber que só temos uma vida e nunca saberemos o que é o certo.

 Hoje estamos bem um com o outro e apercebi-me que prefiro te ter no meu dia a dia do que não ter. É um gosto começar o dia contigo.

reencontro1.jpg

 

publicado por artista-magico às 15:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Agosto de 2013

Recomeço do blog?

Voltei a ver-te, sem o brilhar de outrora e quis perceber o porquê, é que passaram-se 2 anos e muitas coisas mudaram! Fui ter contigo, disseste que está tudo maravilhosamente bem e eu tenho de acreditar não é? Espero que sim, pois pareces-me a mesma menina, aquela que me enche de alegria com as tuas palavras e gestos. Aquela... a dos raios de luz, magia nos pés e gargalhadas à flor da pele!


Falámos, descobrimos e parece que conquistámos a paz que não tínhamos um com o outro. Parece que vamos conseguir manter os sorrisos sempre que nos olhármos pois não haverá necessidade de virar a cara nunca mais. É bom... muito bom, e as memórias não o deixam mentir!

Achei estranho ver-te com outra pessoa, acredito que tenhas achado o mesmo da minha parte. Se é ele que te fará feliz, será meu amigo, e desde que falámos em nos conhecermos e estarmos de novo juntos, esta é a música que tem tocado como banda sonora na minha cabeça, como se fosses tu um dia a proferir as palavras, como se fosse eu um dia também... será que em vez de um caminho haverá dois, e apesar de ser uma história diferente da que se pensou, haverá  história? (Tenham umas boas férias)

It's hard to remember how it felt before

Now I found the love of my life...
Passes things get more comfortable
Everything is going right

And after all the obstacles
It's good to see you now with someone else
And it's such a miracle that you and me are still good friends
After all that we've been through
I know we're cool

We used to think it was impossible
Now you call me by my new last name
Memories seem like so long ago
Time always kills the pain

Remember Harbor Boulevard
The dreaming days where the mess was made
Look how all the kids have grown
We have changed but we're still the same
After all that we've been through
I know we're cool 

And I'll be happy for you
If you can be happy for me
Circles and triangles, and now we're hangin' out with your new girlfriend
So far from where we've been
I know we're cool


Tradução:

É difícil lembrar como sentia antes, agora que encontrei o amor da minha vida... Ao longo do tempo torna-se mais confortável e tudo está a ir bem.

E depois de todos os obstáculos é bom ver-te com outra pessoa. E é um milagre que tu e eu sejamos ainda bons amigos, depois de tudo o que passámos, eu sei que estamos bem.

Costumávamos pensar que era impossivel, agora chamas-me pelo meu novo último nome. Memórias parecem tão longe, tempo sempre mata a dor.

Lembras-te de Harbor Boulevard, os dias de sonhos onde as loucuras foram feitas? Olha como todas as crianças cresceram, nós mudámos mas somos os mesmos. Depois de tudo o que passámos, sei que estamos bem.

E serei feliz por ti se conseguires ser feliz por mim. Circulos e triangulos e agora estamos a sair com a tua nova namorada. Até onde fomos, sei que estamos bem. 

 

música: Gwen Stefani - Cool
publicado por artista-magico às 19:04
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 21 de Junho de 2011

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 18 (Último)

As saudades passaram a ser muitas e os momentos partilhados cada vez menos. Estava tudo contra nós, menos o amor.  As promessas que seriam só uma fase, que seria bom para o nosso futuro, faziam-me ter esperança que seria o certo ter abraçado este trabalho.

Mas do dia prá noite, tudo mudou. Disse que precisava de um tempo para estudar e que, quando feito o exame, lutaria por mim com todas as suas forças, porque me amava e porque seria o momento de liberdade que tanto esperámos. Esse tempo passou e apenas me disse que estava melhor assim. Não disse mais nada. Não me explicou o que acontecera ao que tínhamos, qual o motivo, nada. Eu não percebia e pedia para me explicar. Não conseguia dizer que não me amava nem que de mim gostava. Não me dava tempo nem quando lhe pedia... e foi aí, numa noite em que me concedeu 5minutos do seu tempo, a custo, que me deu um abraço frio, virou as costas e, pela primeira vez, vi a parte de trás das sabrinas... a partirem em passos apressados, sem hesitações, sem se virarem para trás.

 (Aguarela sobre papel)

Ainda hoje não sei qual o motivo e penso que nunca virei a saber. Só sei que foi uma história que não passará disso mesmo na vida dela: Uma história. Passada e guardada até o tempo tratar de a fazer esquecer.

Com toda a certeza que viverá histórias melhores que esta que vivemos, mas não viverá uma igual à que poderiamos ter vivido.

Esta foi a história que pensei que fosse a mais bela história de amor, que teria capítulos até ao fim das nossas vidas. Só que acho que acabou...

Sem Sabrinas, também já não sou Artista-mágico.

 

 

 

 

sinto-me:
publicado por artista-magico às 02:01
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Junho de 2011

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 17

E escolheu então viver a sua vida! A nossa vida! Decidiu deixar de ceder às pressões de todos à sua volta e viver o amor!

Este amor estava sem estrutura pois não tinha tido o melhor início, mas o sentimento fazia com que fosse a obra mais sólida e bonita, obra essa capaz de fazer corar o melhor arquitecto ou engenheiro civíl!

Fomos crianças apaixonada. Os olhos sorridentes de andar de mão dada na rua, o orgulho de chegar ao pé dos meus amigos e dizer "a minha namorada", os sonhos partilhados, o tempo a correr, o perfume sempre presente, desejos de um futuro guardados mesmo à distância de uma vontade, os piqueniques, os passeios, as visitas à praia.. ai... tudo era tão bom!

 (lápis de cor sobre folha A4)

E foi assim durante meses! Havia as nossas pequenas brigas, os ciúmes, as birras, como em todos os casais, porque finalmente eramos um casal!

Nunca tinha sido tão feliz na minha vida! Nunca tinha visto uma pessoa tão especial.. e era a minha metade. Podia contar com ela pra tudo, e quando ela não podia fazia questão de arranjar forma de fazer notar a sua presença!

 

Mas (novamente o "mas") o destino quis que nos afastássemos fisicamente durante semanas! Enviou-me para a outra ponta do país e a ela deu-lhe problemas, trabalhos e estudos...

 

 

publicado por artista-magico às 20:03
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 16

Passaram-se meses e meses iguais. Apesar da situação, não me deixei perder, não cedi! Continuei a amá-la todos os dias um pouco mais!

Ao longo de todo este tempo deu para a conhecer melhor... mostrou-me como era sem as sabrinas! E era linda...! Mostrou-me todo o seu ser... o que mais ninguém viu! Fiquei a conhecer cada parte e a venerar ainda mais o conjunto!!

Mas ao se mostrar sentiu-se envergonhada.

(Aguarela sobre papel)

Os seus pés ainda tinham uns laços que não a deixavam movimentar.

Ela ansiava dar passos, correr, saltar! Aqueles pés foram feitos para dançar!!

Eu sabia disso e nunca a deixei... Não seria essa limitação que faria desistir! Então insisti, ajudei! Sorrimos, amámos e vivemos como pudémos... todo este tempo foi à espera deste momento: está a um movimento de os fios caírem...

  

Estávamos os dois nervosos...

 

E pensei:

*Qual será a sua escolha?*

*Desde o primeiro dia que dançar comigo era o que ela queria, mas viveu todo este tempo desta forma que pode-se ter habituado e achar que isto é o certo.. é o que basta!*

*Dará o gesto que falta?*

Só queria que a minha Sabrinas viesse até mim para seguirmos a vida que tanto desejámos... mas só ela podia fazer algo... aquele era o momento da escolha.

 

publicado por artista-magico às 16:33
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Junho de 2011

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 15

Ela sentia-se presa. Deixou-o. Continuou a sentir-se presa...

(Aguarela sobre papel)

Quando a conquistou foi como se tivesse também comprado uma casa nova. Nos primeiros tempos, tratou de a decorar com o que havia de melhor até sentir que  tinha conquistado um lar. Depois, sim, fez o que a maioria faz: perdeu o interesse. Então começou a deixar acumular pó e só dava uma arrumadela quando recebia visitas. Havia dias em que comprava um quadro novo para tapar a húmidade da parede, esquecendo-se que só estaria a tapar os olhos, o problema continuava lá. Mas ficava bem, e tudo se mantinha delicadamente bonito.

Quando a peça principal decidiu partir (a que trazia harmonia e sentido ao conjunto), viu que nunca iria encontrar nenhuma igual que a substituísse e, com o receio de ter que redecorar toda a casa, preferiu mantê-la presa com cola e fios de sediela de modo a ninguém perceber.

Eu não entendia a lógica disso, pois mais ninguém iria morar numa casa assim. Sei é que as pessoas cegam quando acham que o que estão a fazer é o certo, e munidos dessa certeza, fazem coisas inimagináveis, levando tudo à frente!

Mas ela respeitava e cuidava em demasia das pessoas, e mesmo se me custava era assim que dela gostava!

publicado por artista-magico às 16:03
link do post | comentar | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 14

O "MAS” era o último limite que ela tinha imposto. Apesar de ser o último era o mais lógico. Era a barreira à nossa felicidade, felicidade que não podia existir visto estar presa a alguém desde o primeiro minuto. Para mim era frágil e transparente como vidro e para ela forte e espessa como rocha.

Tentei. Deste lado chamei, gritei, mostrei que podia não passar de um montinho de areia, enviei mensagens para o lado de lá, mas a resposta era sempre a mesma: “há algo entre nós”.

Passei então a duvidar. Não havia solução e o tempo passava. A partir desse momento,  todo o passado parecia ter sido escrito a tinta em que cada “não” era uma gota de água que caia sobre ele e que o borrava, ficando sem se perceber o significado das palavras.

Foi então que descobri que se tivermos muito para dar e ele for estrangulado, canalizado ou diminuído só porque “não pode ser”... o resultado são lágrimas.

(Aguarela sobre papel)

publicado por artista-magico às 10:03
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 1 de Junho de 2011

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 13

A cabeça por vezes pensa demais e o coração segue-a como se fosse esta fosse o comandante que impõe o passo! Por causa disso andei triste! Foram dias de palavras mal percebidas, de descoberta de algumas (como “ciúme”) e de ausência de outras! Tudo isto sem motivo, pois ela voltou!

Na mala, ocupou o espaço que tinha guardado para trazer os“souvenirs”, com todos os beijos e os abraços perdidos! Durante dias senti o que uma criança sente às zero horas do dia 25! (Chego a pensar que essa felicidade só atinge tais níveis devido aos dias de espera e angústia que o precedem! Mas depois é tão bom…)

Revivi dezenas de vezes o meu primeiro beijo! Bastava haver um pequeno intervalo de olhares, para recomeçar tudo de novo. Todos os sentidos se apressavam a colocar-se na linha de partida. Nos lábios sentia-se a tensão, as gotículas de suor colocavam-se à espreita, o sangue acumulava-se nas extremidades e todos esperavam o toque. Com os lábios a tocarem-se havia o disparo do coração que fazia com que o sangue viesse todo até ele! As pernas ficavam a levitar, o tremor passava em forma de onda para todo o corpo despertando o calor e fazendo-me assistir a um fogo-de-artifício com cores nunca antes vistas (Deve ser esse o motivo porque se beija de olhos fechados).

À noite revia a nossa história vezes e vezes. Se participasse nos jogos olímpicos, seria a prova de corrida de barreiras. Para cada momento conquistado, tinha que se dar três passos atrás (apanhar balanço), dar o salto e no fim não era certo ganharmos alguns metros. As barreiras eram os “mas” que surgiam quando tudo parecia correr a grande velocidade. Uma barreira que a cabeça lhe colocava e que o coração tentava que fosse o mais pequena e fina possível. Só que sabia que um dia haveria de aparecer "O" "MAS"...

(Aguarela sobre papel)

publicado por artista-magico às 21:03
link do post | comentar | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 12

Ela partiu (de férias) mas eu fiquei.

Desta vez foi para mais longe do que alguma vez tinha ido. Logo agora que o coração sentiu o que nunca tinha sentido!

Passei a admirar todos os dias a lua, e todos os dias crescia um bocado. Sabia que, onde quer que estivesse, se olhasse para o céu, estariamos os dois a pensar no mesmo e isso fazia-me ficar ali. Era a nossa forma de dizer "estou a pensar em ti".

(Aguarela sobre papel)

Mas a lua atingiu o seu máximo e começou a diminuir. E ela não voltou. Nem sabia se ia voltar.

Antes de partir segredou-me que gostava de mim... e só esperava que, quando voltasse, continuasse assim...

publicado por artista-magico às 16:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 11

Dias depois voltámos ao mesmo local. Tinha que ser o mesmo já que não era assim que o queríamos recordar. Mas cedo retomou o mesmo caminho.

Ouvi um não que queria dizer sim, um olhar triste à espera de ser mudado e um esquivar de corpo que desejava ser agarrado. Até os diálogos pareciam os mesmos como se de um guião de novela se tratasse. O que não estava escrito era o aparecimento de uma estrela cadente que só eu vi! Como qualquer sonhador aproveitei a ocasião, apesar de nunca ter tido um desejo realizado desta forma.

Rápido chegou a hora do último abraço da noite. Não nos deixámos com receio de ser uma cópia exacta da noite já passada. Com perguntas de criança aproximámo-nos demais: Demais para o que podíamos. Mas não… não era nem mais nem menos do que desejava!


(Lápis de cera coberto de tinta da china. Raspado à descoberta das linhas feitas. Folha A4)

Explosões de sentimentos e de cores fizeram-me tremer como se de medo se tratasse! Mas não o sentia. Muito pelo contrário, sentia-me em casa, como se tivesse vivido nos seus lábios desde sempre, tal era a sintonia!

Seguiram-se os olhares envergonhados, as palavras aleatoriamente tiradas de um saco de palavras esquecidas.

Depois de cada abraço ela partia sem olhar para trás, e desta vez não seria diferente.

Eu não podia fazer nada a não ser ficar a olhar e aproveitar aqueles segundos que a minha vista ainda conseguia contemplar. Tentei tocar-lhe à distância na esperança de deslumbrar um último sorriso. Mas como qualquer despedida não é o momento para isso..


publicado por artista-magico às 10:03
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 31 de Maio de 2011

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 10

Por mais anúncios que colocasse parecia não haver resposta.

Várias vezes fui até onde me pudesse ver, mas algo lhe desviava sempre a atenção.

Mais uma vez, quando já nada fazia prever, apareceu, usando como mapa as duas ultimas pistas deixadas.

Tinha-a finalmente à minha frente. Tentámos desenhar com as estrelas, revelámos segredos à lua, ouvimos o que as rãs nos tinham a dizer e discutimos sobre os animais que nos interrompiam! Ainda caminhámos, fugimos, inventámos, sorrimos. Nos intervalos tínhamos conversas banais para passar tempo apesar de que não queríamos que o tempo passasse.

Eu sabia que a algum momento ela iria dizer que se tinha que ir embora. Antes de isso acontecer, resolvi pedir o que quis desde o primeiro minuto: um abraço.

Senti-o de olhos fechados para que os outros sentidos obtivessem o máximo do momento. Foi mágico! Durou até ao limite do aceitável e cheguei a pensar que seriamos culpabilizados do aumento da temperatura terrestre, tal era o calor que produzimos!

A partir dessa noite os abraços passaram a ser a desculpa para nos tocarmos. Não eram oferecidos livremente: Eu pedia-os e ela, fazendo-se de difícil, acabava por mos dar (mas de vontade).

Chegado o momento do adeus, ela partiu e eu fiquei no mesmo lugar relembrando todos os instantes e sublinhando-os a marcador fluorescente para nunca mais esquecer. Guardei também uma imagem de cada um deles.

(Aguarela sobre papel)

É incrível como continuei a senti-la. Não o seu corpo, mas o seu perfume e a marca dos seus dedos na minha pele, que continua a sentir os pequenos choques eléctricos.

publicado por artista-magico às 21:33
link do post | comentar | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 9

A espera continua e nada dá a entender que irá mudar. Nem mesmo eu, sonhador sem arranjo, acredito que irá mudar. Cabe-me aproveitar e coleccionar futuras memórias.

E foi uma corrente de ar carregada de loucura que me levou até ao seu perfume. Nunca o tinha sentido. Talvez tivesse à espera para o sentir noutra altura, mas desta vez sem esperar acabou por vir. Pergunto-me: “Porque tinha que ser, uma vez mais, perfeito?!” Simples, leve, discreto, tão seu. Surge o nervoso miudinho, boca seca, suores frios, conversas de tudo e mais alguma coisa que não revelam nada. Falo, falo, falo e sempre que a encontro distraída obtenho “polaróides” com o olhar para rever quando sozinho os fechar.

Gosto do seu aroma, da sua alma, do seu riso e tenho pena de não conhecer o seu toque. Isso faz com que por vezes questione até que ponto é real. Mas se não o é, tenho receio de acordar e voltar à minha realidade.

Senti-me de novo com esperanças. Ao acordar, a sua magia ainda se sentia. Não havia lugar para tristezas. Tudo era cor, tudo era música. O dia cinzento e chuvoso do qual os restantes se queixavam parecia, para mim, o dia mais bonito do ano!

Marcadores sobre papel (folha A5)

E se nada mais descobrir, este será o dia que gostaria que servisse de modelo para todos os que virão a seguir.

(E se nada mais escrever, esta é a música que quero deixar para quem me entender)

publicado por artista-magico às 16:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 8.539

(Imagens retiradas da WWW e editadas em PS)

publicado por artista-magico às 11:03
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 30 de Maio de 2011

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 8.538

(Lápis sépia e sanguínia sobre papel queimado dentro de garrafa)

publicado por artista-magico às 21:03
link do post | comentar | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 8.507 a 8.537

(Marcador sobre papel em caixas de correio)

publicado por artista-magico às 16:03
link do post | comentar | favorito
|

A história da Sabrinas e do Artista-mágico - 8.6 a 8.506

(Impressões em papel de fotocópia e vegetal)

publicado por artista-magico às 10:03
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Decisões

. Que seja como for..

. Distância

. "The end"?

. És MESMO música nos meus ...

. Sexta!

. O mundo dá cada volta!

. Correr lado a lado

. Estás em todo o lado

. Resposta

. Recomeço do blog?

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

. A história da Sabrinas e ...

.arquivos

. Setembro 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds